Caso de vida ou morte.

O que você diz pode salvar ou destruir uma vida; portanto, use bem as suas palavras e você será recompensado. (Provérbios 18:21 NTLH)

Eis aqui uma verdade impressionante de como nossas palavras tem poder! O que dizemos sobre nossas realidades, cônjuges, filhos, pais, situação financeira, emocional gera impacto real sobre os rumos da nossa vida.

Pensem no navio: grande como é, empurrado por ventos fortes, ele é guiado por um pequeno leme e vai aonde o piloto quer. É isto o que acontece com a língua: mesmo pequena, ela se gaba de grandes coisas. Vejam como uma grande floresta pode ser incendiada por uma pequena chama! (Tiago 3:4, 5 NTLH)

Controlar a língua ou o que falamos nem sempre é fácil mas precisamos aprender o mais rápido como alcançar isso pelo poder do Espírito Santo em nós. A raiz do que falamos é o que pensamos e a maneira correta de corrigir nossa linguagem e palavras é deixar o Senhor mudar nosso coração, nossa mente. 

Ninhada de cobras venenosas! Como é que vocês podem dizer coisas boas se são maus? Pois a boca fala do que o coração está cheio. (Mateus 12:34 NT)

Não podemos ser apenas uma reação ao que nos ocorre. Pensamentos ruins, sem reflexão, incoerentes com a palavra e a vontade de Deus gerarão palavras de morte destruição e servirão como uma invocação de males sobre nossas vidas. Pensamentos transformados, embebidos do Espirito Santo, da palavra de Deus, alinhados ao caráter de Cristo produzirão vida pra você e todos que te rodeiam.

Refrear o que se diz é importantíssimo e faz parte do processo mas, sem uma dedicação a uma transformação na maneira de lidar com suas realidades dentro de você, em sua mente, mais cedo ou mais tarde você explodirá em palavras destrutivas. Humilhe-se diante do Senhor, em oração apresente diante dele toda a porcaria que se passa aí dentro de sua cabeça, peça a Ele que transforme sua mente e que te dê poder pra andar e falar pela fé, pelo amor, pela esperança , pelo Espírito.

Paz de Cristo!

Alex, 15 de novembro de 2012

Advertisements

A segunda maior coisa do mundo?


Sabe qual é a segunda maior coisa do mundo?
– O pecado. 

Isaías 59:1-2
Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir.

Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.

Atos 3:19

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados,

A PRIMEIRA maior coisa do mundo (disparada) é o amor de Deus e sua graça liberada por intermédio do sacrifício de Cristo na cruz. 

Romanos 5:20-21

Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.

Numa parábola moderna, seria “tipo” o Andre de Grasse no papel do pecado e o Usain Bolt no papel amor graça de Deus. Claro, o amor de Deus infinitamente mais disparado que o Bolt! 

Romanos 8:37-39

Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Inspirado numa meditação de Billy Graham

#JeSuSmudaTUdo

O menino e o barquinho

Boy With a Toy Boat – Simon Glucklich (1863-1943)

Um menino tinha feito, com muito esforço e capricho, um barquinho a motor. Satisfeito, brincava com ele a beira do rio, quando, de repente, o barquinho impelido pela correnteza, lhe escapou das mãos. Triste, o garoto voltou para casa, sem esperanças de tornar a ver o barco, que tanto trabalho lhe custara. Qual não foi seu espanto ao ver o barquinho, certo dia, na vitrina de uma das lojas da cidade. Entrou e insistiu que o barco era seu, mas o negociante disse que só lho daria mediante o pagamento do preço estipulado. 0 menino voltou ao lar e narrou o incidente ao pai, que lhe forneceu o dinheiro necessário para a compra do barquinho. Rápido, dirigiu-se à loja, onde comprou o barco que, de direito, já lhe pertencia. Ao sair, segurando bem firme em seus braços o precioso objeto, exclamou: “Agora és duas vezes meu: meu porque te fiz, e meu porque te comprei.” Assim também nos pertencemos a Deus: por direito de criação e direito de redenção. Quando as correntezas do pecado nos afastaram das mãos divinas, e nos achávamos debaixo do domínio de Satanás, Cristo nos comprou pelo preço do seu sangue.

#Parábolas

O seu nome é…

Transcrição da mensagem de William Cosmo.  

Isaías 9:6

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz;

Há um ditado da tribo canadense Swampy Cree que diz: “Quando se pronuncia um nome, inicia-se uma história.”

O texto do profeta Isaías acima citado é considerado a maior das profecias messiânicas. E ali ele fala do nome do messias. O nome de Jesus não é um nome mágico mas sim um nome que tem poder pelo caráter e identidade que ele revela.

O nome aponta:

  • Identidade
  • Filiação
  • Posição
  • Função

O nome de Cristo dá a Ele diretamente as suas características essenciais para responder a expectativa messiânica e de salvação universal. Vejamos:

  1. Maravilhoso – Alguém que quebra a normalidade, que é um milagre em si mesmo é uma ação do próprio Deus. Ele nasceu de uma virgem.
  2. Conselheiro – Alguém que caminha do lado e direciona.(Emmanuel=Deus conosco e nós com Deus), que faz parte do Conselho da trindade divina, e que ordena as coisas pela palavra, seja nossa forma de ver as coisas, nossos sentimentos e emoções e até nosso jeito de amar. (Leia João 1.1-3)
  3. Deus forte – Jesus é poderoso e justo, isso fala para quem crê e para quem não crê. Jesus é justiça e poder em nós o que dissipa as trevas que são de dentro. 
  4. Pai da eternidade (Leia Romanos 8:27-32) – ele é o primeiro e por ele também que somos feitos filhos de Deus. 
  5. Príncipe da Paz – sem Jesus sem paz, que gera no povo o entendimento da sua paz que é diferente da paz que o mundo dá. A paz vem do entendimento de que Jesus é suficiente. O Shalom que é a paz completa e perfeita que provoca a que sejamos promotores da paz. (Leia João 14.27)

“Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor”. Lucas 2.14

Nosso Deus tem uma identidade.

Conclusão 

Nessa época do ano comemoramos o natal. Para muitos o significado tem se perdido em meio aos ruídos mas o nosso desejo é de que possam nos utilizar dessa época para levar a mensagem de amor de Deus ao enviar seu filho a todos que vivem sem uma esperança. Em Cristo Deus também nos deu a chance de termos um novo nome e um novo nascimento não   Dá cabe nem do homem, mas da vontade de Deus. Jesus nos desafia a viver a perfeita humanidade vivida por Ele. Para isso fomos salvos, para sermos luz nesse mundo para vivermos conforme a imagem do filho Jesus unigênito que se fez primogênito entre muitos irmãos .  Feliz Natal! 

 Assista o vídeo de uma música que tem tudo a ver com essa mensagem, clicando aqui:

TOMANDO A BACIA E A TOALHA PARA SERVIR

Quando Jesus se colocou como exemplo e desafiou os conceitos de serviço dos seus discípulos, estava propondo uma nova forma de encarar o ato de servir, bem como uma nova maneira de se relacionar entre irmãos. Estava definindo como perceber a realidade do serviço e qual a extensão desse serviço ao outro. Propunha:
(1) Apenas servir, sem olhar a quem. Era a quebra de determinados paradigmas existentes entre os seus discípulos – Não deveria estar escolhendo a quem servir mas deveria colocar o outro como alvo do meu servir. Isso é o bastante.

(2) Servir pela benção do servir, não por esperar algo em troca. É o ato de atender à necessidade do outro pela alegria de vê-lo feliz e realizado, – não porque receberei algo em troca, como se fosse um ato de barganha. Eu faço, então recebo. Fiz, por isso você me deve algo.

(3) Não se tem e nem se pode escolher serviço. Apenas servimos em obediência ao Mestre. No Reino de Deus não cabe ao servo escolher onde servir e como servir. Deve apenas estar à serviço do seu Mestre para servir onde Ele determinar.

(4) Não há mérito algum no que se faz quando serve. Se busca glórias, está no lugar errado. Se deseja elogios, a motivação está errada. Servir como ato de obediência ao Seu Mestre e como ato de adoração Àquele que designou o motivo e a motivação do servir.

(5) Servir como estilo de vida. Não é algo esporádico na vida, mas como o padrão da existência cristã. Servir como modelo, como exemplo. Ser capaz de ultrapassar conceitos e preconceitos no ato de viver servindo.

Que sejamos, a partir dos diáconos de nossa Igreja, modelos de serviço para um mundo caótico que anseia por ver pessoas sendo referenciais de vida. Que sejamos servos qualificados pelo Mestre Jesus. Que sejamos padrão para esta geração e a próxima. Que sejamos servos, vasos nas mãos do Oleiro, onde Ele possa nos moldar e utilizar para a Glória do Deus Pai.

Do seu amigo e Pastor

Gerson de Assis Perruci

Editorial pulicado no boletim da Igreja Batista das Alterosas – Domingo 08 de Novembro de 2015.

Mordomia do Meio Ambiente

Não é para responder, é apenas para se repensar ou quem sabe recomeçar, refazer…

 

Estou certo de que mesmo diante de toda a admiração de Deus por seu trabalho na criação: “viu que era bom…”  e seu amor incontido pela humanidade ao ponto de dar seu filho para resgatar a comunhão com os homens (João 3.16), uma das causas que atrairá um juízo divino sobre os homens é ignorar a necessidade do arrependimento pela falta de cuidado e respeito à ordem das coisas criadas.

Quando não há no coração do homem o reconhecimento de que Deus criou tudo perfeitamente belo e em ordem, e que não somos donos de absolutamente nada mas apenas mordomos e administradores do que é dEle, caímos no abismo de um pensamento totalmente egoísta e auto-centrado e auto-destrutivo sobre o sentido da nossa existência e do nosso papel diante dos demais seres humanos e da criação ou do meio em que vivemos.

Isaías 45:18
Porque assim diz o SENHOR, que criou os céus, o Deus que formou a terra, que a fez e a estabeleceu; que não a criou para ser um caos, mas para ser habitada: Eu sou o SENHOR, e não há outro.
Gênesis 1:1,2,26-28
Em primeiro lugar, Deus criou o céu e a terra — tudo que se vê e tudo que não se vê. A terra era como uma massa sem forma, um vazio sem fim, uma escuridão quase palpável. O Espírito de Deus pairava sobre o abismo das águas.

Deus disse: “Façamos os seres humanos à nossa imagem, de forma que reflitam a nossa natureza
Para que sejam responsáveis pelos peixes no mar,
pelos pássaros no ar, pelo gado E, claro, por toda a terra, por todo animal que se move na terra”.
Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
E, então, os abençoou:
“Cresçam! Reproduzam-se! Encham a terra! Assumam o comando! Sejam responsáveis pelos peixes no mar e pelos pássaros no ar, por todo ser vivo que se move sobre a terra”.

É o que temos feito? 

Ouça a belíssima canção do Gladir Cabral e reflita.

Vida no Espírito – Mortificação e Vivificação

“A mortificação da carne é a vivificação do espírito.” (Calvino)

IMG_3506-0
Romanos 8:13
Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis.

A Parábola dos dois cachorros:

Um velho dava lições de vida aos seus netos. Disse-lhes:
“Está se travando uma luta dentro de mim. Luta terrível, entre dois cachorros.

Um é o medo, a cólera, a inveja, a tristeza, o remorso, a arrogância a auto-piedade, a culpa, o ressentimento, a inferioridade e a mentira.
O outro é a paz, a esperança, o amor, a alegria, a delicadeza, a benevolência, a amizade, a empatia, a generosidade, a verdade, a compaixão e a fé.

A mesma luta está se travando dentro de vocês e de todas as outras pessoas…”
As crianças puseram-se a refletir sobre o assunto e uma delas perguntou ao avô: ” Qual dos cachorros vencerá?”

O ancião respondeu:
” Aquele que for mais alimentado…”

Digo, porém: Andai no Espírito, e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que por­ventura seja do vosso querer. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei. Ora, as obras da carne são conhecidas, e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissenções, facções, invejas, bebedices, glutonarias, e cousas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos de­claro, como já outrora vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais cousas praticam. Mas o fruto do Espírito é: amor, ale­gria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansi­dão, domínio próprio. Contra estas cousas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.
Gl 5:16-24