A sua oferta de si


De tudo que se pode oferecer a Deus nada se compara a oferta de si mesmo. 
Ofertar a si mesmo é viver para Deus fora das reuniões e cultos. É dar-se em revelação do amor de Deus aos que estão em nossa casa, em nosso local de trabalho, na faculdade mesmo que exija algum nível sacrificial. 
Ofertar para Deus deve ir além do dinheiro. Deve mexer com nossas prioridades, nossos interesses e nossa vida. Que possamos nos gastar, desgastar e nos dissolver pelo propósito do Senhor através de nós nessa terra. 

Olhe em redor e veja agora mesmo, para quem você pode ser uma oferta viva do amor de Deus.

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. (Romanos 12:1 NTLH)

17 de outubro de 2012 

* Se te edificou, compartilhe.

Advertisements

A segunda maior coisa do mundo?


Sabe qual é a segunda maior coisa do mundo?
– O pecado. 

Isaías 59:1-2
Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir.

Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.

Atos 3:19

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados,

A PRIMEIRA maior coisa do mundo (disparada) é o amor de Deus e sua graça liberada por intermédio do sacrifício de Cristo na cruz. 

Romanos 5:20-21

Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.

Numa parábola moderna, seria “tipo” o Andre de Grasse no papel do pecado e o Usain Bolt no papel amor graça de Deus. Claro, o amor de Deus infinitamente mais disparado que o Bolt! 

Romanos 8:37-39

Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Inspirado numa meditação de Billy Graham

#JeSuSmudaTUdo

O menino e o barquinho

Boy With a Toy Boat – Simon Glucklich (1863-1943)

Um menino tinha feito, com muito esforço e capricho, um barquinho a motor. Satisfeito, brincava com ele a beira do rio, quando, de repente, o barquinho impelido pela correnteza, lhe escapou das mãos. Triste, o garoto voltou para casa, sem esperanças de tornar a ver o barco, que tanto trabalho lhe custara. Qual não foi seu espanto ao ver o barquinho, certo dia, na vitrina de uma das lojas da cidade. Entrou e insistiu que o barco era seu, mas o negociante disse que só lho daria mediante o pagamento do preço estipulado. 0 menino voltou ao lar e narrou o incidente ao pai, que lhe forneceu o dinheiro necessário para a compra do barquinho. Rápido, dirigiu-se à loja, onde comprou o barco que, de direito, já lhe pertencia. Ao sair, segurando bem firme em seus braços o precioso objeto, exclamou: “Agora és duas vezes meu: meu porque te fiz, e meu porque te comprei.” Assim também nos pertencemos a Deus: por direito de criação e direito de redenção. Quando as correntezas do pecado nos afastaram das mãos divinas, e nos achávamos debaixo do domínio de Satanás, Cristo nos comprou pelo preço do seu sangue.

#Parábolas

Vida no Espírito – Mortificação e Vivificação

“A mortificação da carne é a vivificação do espírito.” (Calvino)

IMG_3506-0
Romanos 8:13
Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis.

A Parábola dos dois cachorros:

Um velho dava lições de vida aos seus netos. Disse-lhes:
“Está se travando uma luta dentro de mim. Luta terrível, entre dois cachorros.

Um é o medo, a cólera, a inveja, a tristeza, o remorso, a arrogância a auto-piedade, a culpa, o ressentimento, a inferioridade e a mentira.
O outro é a paz, a esperança, o amor, a alegria, a delicadeza, a benevolência, a amizade, a empatia, a generosidade, a verdade, a compaixão e a fé.

A mesma luta está se travando dentro de vocês e de todas as outras pessoas…”
As crianças puseram-se a refletir sobre o assunto e uma delas perguntou ao avô: ” Qual dos cachorros vencerá?”

O ancião respondeu:
” Aquele que for mais alimentado…”

Digo, porém: Andai no Espírito, e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que por­ventura seja do vosso querer. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei. Ora, as obras da carne são conhecidas, e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissenções, facções, invejas, bebedices, glutonarias, e cousas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos de­claro, como já outrora vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais cousas praticam. Mas o fruto do Espírito é: amor, ale­gria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansi­dão, domínio próprio. Contra estas cousas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.
Gl 5:16-24