Família, igreja e bebês

Esse post tem como objetivo apresentar algumas respostas objetivas a questionamentos de pais, amigos e familiares com relação ao papel da igreja quando um bebê nasce e uma breve orientação pastoral aos pais cristãos (protestantes ou evangélicos comonpreferir chamar). Deixamos claro que essas são posturas que tomamos aqui no Aprisco, mais particularmente em nossa igreja Sede em Feira de Santana, Bahia e que podem haver outras condutas diferentes de outras igrejas e denominaçoes que não necessariamente impliquem em pecado mas que podem ser uma falha de interpretação bíblica que traga derivações errôneas sobre a compreensão do evangelho de Cristo.

Devemos batizar os bebês?

A Bíblia não diz nada sobre o batismo de bebês. Não há nenhum lugar na Bíblia que diz que um bebê foi batizado. As pessoas que foram batizadas na Bíblia sabiam o que estavam fazendo e tomaram essa decisão de forma consciente. Ninguém foi batizado sem seu consentimento.

O batismo salva?

Não, o batismo em si não salva. Só a fé em Jesus pode salvar (Romanos 10:9-10). O batismo é simbólico, representando nossa morte para o pecado e ressurreição para a vida eterna, pelo sacrifício de Jesus.

Se uma pessoa se converte e morre antes de ser batizada, essa pessoa está salva. Isso aconteceu com o ladrão que morreu ao lado de Jesus. Do mesmo modo, se uma pessoa é batizada mas não aceitou Jesus como seu salvador, não está salva. O batismo não tem sentido sem haver conversão primeiro.

Batizar seu bebê não vai salvá-lo. Deus não vai lançar no inferno quem é muito novo para entender sobre o pecado e a salvação. O Reino dos Céus pertence a quem é como uma criança: humilde e inocente para o mal (Mateus 18:3-4).

A Bíblia não diz nada sobre o batismo de bebês. Não há nenhum lugar na Bíblia que diz que um bebê foi batizado. As pessoas que foram batizadas na Bíblia sabiam o que estavam fazendo e tomaram essa decisão de forma consciente. Ninguém foi batizado sem seu consentimento.

O batismo substitui a circuncisão judaica?

Sim e não. Sim, porque a circuncisão acontecia depois do nascimento e representava a pertença ao povo judeu. O batismo acontece depois do novo nascimento espiritual (conversão) e representa a pertença à família de Deus. Não, porque o novo nascimento acontece com uma decisão pessoal, que um bebê não tem capacidade para fazer.

As famílias batizadas na Bíblia incluíam bebês?

A Bíblia não diz se incluíam bebês ou não. Mas é importante ler o contexto. Todos que foram batizados ouviram sobre Jesus e se converteram primeiro. Veja alguns exemplos: Atos dos Apóstolos 2:40-41; Atos dos Apóstolos 10:44-48; Atos dos Apóstolos 16:32-34

Em alguns casos, até crianças pequenas podem entender a mensagem da salvação e responder sinceramente ao chamado. Mas um bebê pequeno que não entende nem fala não consegue fazer isso. O batismo na Bíblia é sempre para quem entende.

Batizar bebês é pecado?
Não, batizar um bebê não é pecado mas é uma interpretação errada. Deus não vai castigar quem acredita que isso é certo, porque Ele entende os motivos das pessoas. Mas batizar um bebê é perder algum do sentido original do batismo, como símbolo da conversão.

Claro que é bom dedicar a criança a Deus, integrá-la na família da igreja e fazer o compromisso de ensiná-la nos caminhos de Deus. Mas isso não precisa de um batismo. O batismo deveria ser reservado para quando a pessoa já tiver tomado a sua decisão.

Crente pode ter padrinho e madrinha de nascimento?

Não há nada na Bíblia que fala sobre ter padrinho e madrinha, nem a favor nem contra. Cada casal crente pode decidir se seu filho vai ou não vai ter padrinho e madrinha, de acordo com sua consciência (Romanos 14:22). O apadrinhamento de um bebê só não deve estar associado a um batismo.

O apadrinhamento é uma prática da igreja católica e de algumas igrejas protestantes e também usado em religiões de afro-brasileiras. Em todas elas,  o padrinho e a madrinha assumem a responsabilidade de educar a criança nos caminhos daquela determinada religião, em conjunto com os pais.

Vejamos mais sobre isso:

No Catolicismo

Os Padrinhos tem como papel ensinar seu afilhado a trilhar os passos do catolicismo, tanto no Batismo quanto no Crisma. Os deveres dos padrinhos são sérios e nem sempre fáceis, pois devem conduzir seu apaniguado a fé católica – por isso ao ser convidado para crismar alguém, a pessoa deve se sentir preparada e deve estar ciente dos seus deveres junto ao romanismo.

Padrinhos e Madrinhas, são pais e mães espirituais. No batismo eles têm como obrigação auxiliar os pais da criança, na educação católica da mesma. No crisma, o padrinho deve ajudar o crismando a amadurecer para fé romana, o próprio significado de crisma é este, o sacramento da maturidade do católico, é quando a criança se torna adulta perante a dogmática da Igreja Católica.

Nas Religiões afro-brasileiras

Padrinho ou Madrinha, são pais e mães espirituais, também chamados de pai-de-santo ou mãe-de-santo exercem a função de segundo pai ou segunda mãe. São as pessoas que cuidam do desenvolvimento dos médiuns e orientação espiritual. Esse termo é usado na Umbanda e no Xambá.

Devo ser padrinho/madrinha de uma criança que caísse batizada na igreja católica ou em uma religião afro-brasileira?

Como já dissemos antes, estar em Cristo é liberdade e cada um deve responder diante dele sobre suas decisões. O conselho pastoral mediante o que entende por  aparinhamento nessas religiões é que, ainda que por laço familiar até se vá a uma cerimônia, ao cristão não convém apadrinhar crianças. (Romanos 13.12)

Voltando ao assunto…

Se o casal crente decidir ter “padrinho e madrinha” que seriam na verdade como que testemunhas e uma forma de reconhecer o papel de algum amigo na vida de seu filho, deve escolher pessoas que:

São crentes em Jesus – seja em sua presença ou ausência mantenham a orientação da fé em Cristo. Se não crêem em Jesus, não vão ajudar a educar a criança sobre Jesus;

São um bom exemplo – crianças aprendem observando as ações, não apenas ouvindo o ensino;

Vão apoiar os pais – os padrinhos podem ajudar e aconselhar os pais mas devem sempre respeitar a autoridade dos pais no ensino da criança.

Algumas pessoas da Bíblia foram “pais espirituais” – pessoas que levaram outras para Jesus e lhes ensinaram o evangelho, ajudando no seu crescimento. Paulo se considerava “pai” de Timóteo e dos membros da igreja de Corinto (1 Timóteo 1:2; 1 Coríntios 4:14-15). Nesse sentido, Paulo era parecido com um padrinho.

Por outro lado, não há nenhum caso na Bíblia de uma pessoa sendo convidada para apadrinhar uma criança desde seu nascimento. A responsabilidade de educar a criança nos caminhos de Deus recai principalmente sobre os pais (Deuteronômio 6:6-7). Quando a criança não tem pais, a pessoa que cuida da criança tem essa responsabilidade.

Apadrinhamento e batismo
O apadrinhamento surgiu por causa do batismo de bebês. Nas igrejas onde o batismo de bebês é praticado, os padrinhos servem como porta-voz da criança. Como a criança nada entende, os padrinhos renunciam ao pecado e confessam Jesus como seu salvador em seu lugar. Isso não é bíblico.

A Bíblia ensina que aceitar Jesus como salvador é uma decisão pessoal. Ninguém pode confessar Jesus em lugar de outra pessoa. O batismo é para todo aquele que crê, não para o bebê que ainda não entende (Marcos 16:16).

Conclusão 

De acordo com todas as posições Aqui no Aprisco temos feito uma apresentação quando os pais, que são os principais responsáveis diante de Deus por ensinarem no Caminho, trazem a criança à reunião da igreja e ali a dedicam consagrando-a ao Senhor em oração juntamente com a igreja que também se compromete a ajudar na educação espiritual daquela criança. 

Geralmente os pais convidam amigos e familiares que também vem junto com eles diante da congregação para apoiar o ato deles e servem como testemunhas. Aquela criança vai crescer e em seu momento oportuno responder por si só se deseja seguir a Cristo ou não . 

 Jesus abençoa as crianças Lucas 18:15-17

Traziam-lhe também as crianças, para que as tocasse; e os discípulos, vendo, os repreendiam. Jesus, porém, chamando-as para junto de si, ordenou: Deixai vir a mim os pequeninos e não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira alguma entrará nele.

A verdade é que nós adultos temos muito que aprender com a simplicidade das crianças em sua fé em Cristo. 

Fonte: Bíblia Sagrada , cacp.org e respostas.com.br

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s